MENU

22/02/2021 às 09h36min - Atualizada em 22/02/2021 às 09h36min

Insônia um problema de 24 horas

O despertador toca, você pula da cama! A sensação não é boa, há algo pesando sobre o seu corpo.

TAINARA ZIMATH - MÉDIO VALE EM FOCO
NEUROLOGISTA
O despertador toca, você pula da cama! A sensação não é boa, há algo pesando sobre o seu corpo. Mas o tempo não para e a agenda de compromissos do dia está cheia, não é mesmo? Então você vai, toma banho, pega um café e corre para o trabalho. Sente nos ombros o cansaço acumulado das últimas noites mal dormidas. Os lapsos de memória andam mais frequentes. A paciência, mais curta. Há uma irritabilidade maior que a habitual.
De repente, no meio do trabalho você se pega sonhando acordado com uma boa noite de descanso e pensa ‘preciso de férias’.
Então, vamos lá! Tente ser sincero com você mesmo e responda as seguintes perguntas:
Você tem alguma queixa relacionada ao sono? Tem dificuldade para iniciar ou mantê-lo? Acorda muito antes do horário programado? 
Isso acontece todos os dias ou pelo menos 3 vezes na semana há mais de 3 meses? Você sente que o cansaço do dia após uma noite mal dormida altera o seu humor ou afeta o seu desempenho em alguma tarefa?
Se sua resposta for sim para todas essas questões, muita atenção à sua saúde!
É provável que você faça parte da expressiva parcela da população que sofre de insônia crônica.
Cerca de 35% da população sofre com insônia episódica e 10% sofre com insônia crônica.
Você não deve atribuir sua noite mal dormida às preocupações do dia a dia ou ao estresse do trabalho. Principalmente, se essa situação estiver ocorrendo com certa frequência na sua vida. Você deve encará-la como um problema de saúde.
Insônia associa-se de forma negativa a diversos aspectos da vida como o aumento da percepção de má qualidade de vida, aumento da sensação de dor corporal, diminuição do desempenho no trabalho, aumento do absenteísmo laboral e aumento de risco de acidentes e lesões corporais. Também está relacionada ao aumento do risco de doenças psiquiátricas e disfunções cognitivas.
Na população que tem menos de 6 horas de sono total por noite há uma evidente dificuldade de concentração, redução de produtividade e diminuição nas interações sociais. 
Na população idosa que sofre com insônia a diminuição do tempo total do sono mostra-se relacionada ao aumento do risco de demência de qualquer causa em 75% dos casos após 9 anos de noites mal dormidas.
Jovens com insônia primária também apresentam risco duas vezes maior que a população geral para declínio cognitivo e desenvolvimento de qualquer demência.
Estudos apontam que os efeitos da insônia crônica na qualidade de vida se equivalem aos danos decorrentes de insuficiência cardíaca e de depressão. Portanto, entenda, é preciso mais do que somente férias para corrigir esse problema. Valorize um boa noite de sono!
A insônia é um problema que vai além do período noturno, as consequências da insônia crônica impactam (e muito) o seu dia, a sua vida.
Se você tem problemas de sono, não guarde esse problema para você, procure por ajuda!


TAIMARA ZIMATH 
NEUROLOGISTA 
CRM - 21497
RGE - 18708
RUA : BOLÍVIA 148
EDIFÍCIO CENSIT 
CONTATO: 47 3306 - 9090


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp